Archive for the ‘compatibilidade’ Category

Steve Jobs rebate críticas da Adobe

Em vista das recentes críticas sobre o Apple Flash feitas pela Adobe, que chamou a tecnologia da Apple de “resquício da velha internet”, Steve Jobs escreveu uma carta aberta onde rebate tais críticas. “[…]Os usuário não sabem o que querem. E eles querem o Apple Flash. Não querem mudar seus hábitos de navegação. A maior parte do conteúdo multimídia de entretenimento e informação é distribuído nessa plataforma. Poucos ou quase ninguém distribui seu conteúdo através do HTML5. Quantos navegadores já possuem suporte completo a essa nova plataforma?”.

Ainda sobre a onipresença do Apple Flash como conteúdo interativo, Jobs acrescenta que a maior parte dos jogos para web browsers são feitos nessa plataforma: “O usuário não quer precisar instalar um jogo que ele irá usará uma única vez. O que ele quer é uma plataforma única onde pode usufruir de diversos jogos feitos por diferentes desenvolvedores distribuídos nos mais diferentes sites. Pense nos vários sites que distribuem jogos educativos em Apple Flash justamente por sua onipresença. Coloque a oportunidade de se usar esses jogos com uma fantástica e inovaodra plataforma como o iPad.”

Sobre as falhas no Apple Flash, Steve Jobs rebate dizendo “[…] nenhum software é perfeito e nós na Apple trabalhamos cada vez mais para melhorar a segurança e a estabilidade de nossos produtos.” e finaliza dizendo que “ainda há muito espaço para o Apple Flash. No futuro o Apple Flash naturalmente irá sumir, mas no presente ainda é difícil imaginar um mundo digital sem ele: seja em plataformas móveis e inovadoras, seja nos netbooks, sejam nos computadores de mesa e laptops”.

Anúncios

Lamentável

Bom dia pessoas!

Confesso que fiquei surpreso com a receptividade positiva do post anterior e acabei demorando mais do que devia para atualizar isso aqui. Mas sabem como é… trabalho, faculdade, evitar ficar no pc no tempo livre, Nintendo DS, outras coisas mais interessantes e por aí vai.

Nesse exato momento estou a ouvir Beirut que segundo a lenda virá para o Tim Festival desse ano. Preciso confirmar isso o quão antes… assim como boatos que ouvi por aí de Muse vir cá em Julho. *dedos cruzados*

Ia fazer um post sobre a aprovação na ISO do bizonho formato Office Open XML e como isso é ruim para todos. Poderia descorrer muita coisa aqui, mas tudo o que eu gostaria de falar já foi dito nesse site. Contudo, acho que uma coisa pode ser adicionada, uma explicação simples para leigos:

O problema de a ISO ter sido corrompida, ter tido enormes irregularidades no processo de votação de vários países (maior exemplo sendo a Noruega pediu oficialmente que seu voto fosse anulado – 20 e poucos Não e uma meia dúzia ou menos de Sim e o voto deles vai como SIM? Estranho, não?), e uma clara sensação de que quem fez o “padrão” ser aprovado foi o lobby da MS e não a qualidade de seu produto, não está somente no campo da corrupção. Está no fato de que isso pode impedir você de ter liberdade de escolha.

A MS quis disesperadamente aprovar um formato seu como padrão ISO porque seu concorrente conseguiu isso. E sendo um padrão é mais fácil de ser adotado por governos, empresas, e cidadão comuns idependentemente de qual programa eu uso. Em poucas palavras, isso significa dizer que seja lá qual for o programa que eu ou você utilizamos para editar nossos textos, podemos trocar arquivos no formato ODT (o concorrente) independentemente se esse é ou não o formato natural de nossos programas. Assim, você não tem que comprar um pacote de escritório que te custam 3 meses de trabalho. E que na próxima versão irá gerar arquivos que o seu programa atual não será capaz de abrir, quanto mais editar – correndo o risco dessa nova versão exculhambar com os arquivos as versões anteriores ao editá-los.

E aí vem aquela mentalidade brasileira: mas eu tenho “ófissi de graça! Peguei na internetchi!” ou “Peguei emprestado com um cara lá da firma.”  “Comprei no camelô!”. Bom, seguindo essa mentalidade do brasileiro padrão fica meio difícil argumentar com qualquer coisa que envolva dinheiro. Mas isso é o de menos. O que tá em jogo é você poder escolher ter ou não o software X. Preferir ou não o Y. Ser obrigado a trabalhar com uma única suíte de escritório simplesmente porque seu formato é proprietário e quase que proibitivo ao trabalhar em outras aplicações porque ela não colabora, é como se você fosse obriagdo a abastecer seu carro sempre e única e exclusivamente em um único posto de gasolina que fornesse um único tipo de combustível de um único distribuidor de uma única refinaria = independentemente se você não quer.

Iria me alongar nesse assunto, porém, ele me cansa. Leiam os links que postei e seus comentários. Valem mais do que eu ficar aqui divagando.

Até mais!

***********

Outros links:

http://www.noooxml.org/start
http://www.groklaw.net/article.php?story=20080328090328998

Compatibilidade de pereiféricos no Linux: camapanha BR-Linux

E aí?

Post geek! Divulgando resultado da campanha de compatibilidade do BR-Linux:

Citando:

Ajude a divulgar a lista brasileira de equipamentos e serviços compatíveis com Linux
…e concorra a MP4 e MP3 players, mochilas Targus, períodos de VoIP grátis e até a ventiladores USB – além de contribuir automaticamente para doações para a Wikipedia e o WordPress! O BR-Linux coletou mais de 12.000 registros de compatibilidade de equipamentos e serviços (webcams, scanners, notebooks, …) na sua Pesquisa Nacional de Compatibilidade 2007, e agora convida a comunidade a ajudar a divulgar o resultado. Veja as regras da promoção no BR-Linux e ajude a divulgar – quanto mais divulgação, maior será a doação do BR-Linux à Wikipedia e ao WordPress. ”

Abraços!